Objetivo de Darryl - Contador de cartas mestre e músico famoso

Ser parte de Ken Equipe de blackjack de Uston, Objetivo de Darryl
viajou pelo mundo como contador de cartas, foi
barrado de vários cassinos, e até usou um shuffle
sistema de rastreamento chamado “Thor” para obter uma vantagem sobre a casa.
Darryl conseguiu ganhar milhões de dólares jogando
blackjack ao longo dos anos, e olhando de fora para dentro, a vida
pois Darryl não poderia ser melhor.

Embora o dinheiro fosse atraente, Darryl ainda sentia algo
ausente em sua vida; sem trocadilhos, ele ainda precisava encontrar
seu propósito. Seu propósito, descobrimos, envolve espalhar seu
talentos musicais em todo o mundo. Ao longo desta biografia,
vamos explorar a história colorida do passado de Darryl, enquanto
tendo uma visão de quem ele é hoje.

Encontrando seu “propósito” logo no início

Darryl Purpose

Darryl Propósito era o tipo de pessoa que mais na escola
pessoas invejadas. Ele não era apenas extremamente inteligente, especialmente
quando se tratava de matemática, mas ele também era muito habilidoso
guitarrista. A mãe de Darryl esperava que ele investisse
mais tempo dele em matemática, então ela comprou para ele uma cópia
de Edward Thorp, Beat the Dealer, para o Natal quando ele tinha
dezesseis. Ela não tinha ideia de quanto impacto isso teria sobre ele
mais tarde na vida.

Como costumava jogar cartas em seu tempo livre, Darryl era
intrigado ao ler o livro e surpreso com a rapidez com que
ele foi capaz de pegar os conceitos que Thorp abordou dentro dele.
Embora ele estivesse curioso sobre se as estratégias em
o livro realmente funcionaria em um cassino, ele sabia que não seria
capaz de experimentá-lo até os 21 anos.

Ele guardou o livro em sua mente, mas optou por dedicar seus últimos dois anos de ensino médio para aprimorar sua guitarra
his last two years of high school to enhancing his guitar
Habilidades. Após a formatura, ele se matriculou no California State College
em Northridge para se formar em violão clássico, como seu sonho de vida
era se tornar um músico. Inicialmente as coisas estavam indo muito bem
para ele; os professores reconheceram suas habilidades e suas
as notas eram excelentes.

Sua mão esquerda começou a doer uma noite enquanto ele estava
praticando violão; ele esperava que a dor diminuísse em
O próximo dia. Após dor persistente por várias semanas,
Darryl decidiu marcar uma consulta com os Médicos para ter
tudo verificado. Eles o forçaram a colocar uma tala em seu
pulso, o que atrapalhou muito suas habilidades de tocar guitarra.
Embora ele tenha ficado desanimado, é permitido aprender a palitar o dedo
para ele continuar.

Infelizmente, dentro de alguns meses, sua mão direita estava
começando a ter os mesmos problemas que sua esquerda. Ele eventualmente
seria forçado a usar duas talas, deixando cair
faculdade inevitável. Ele deixou a escola com apenas alguns dos seus
pertences pessoais, seu Chevy 62 ′ e US $ 50 de sobra. Ele era
indo para Las Vegas, na esperança de aplicar o que leu, Bata o
Dealer, para se tornar um jogador profissional de blackjack.

Ganhando a vida em Las Vegas

Para viver em Las Vegas, Darryl precisava encontrar um emprego
isso iria apoiá-lo enquanto ele construía seu bankroll. O primeiro
o trabalho que ele encontrou envolvia a venda de canetas esferográficas pelo telefone para
várias empresas em todo o mundo. Foi uma comissão baseada
trabalho, então às vezes ele recebia apenas $ 20 por semana, enquanto outras vezes
ele receberia até $ 200. Ele viveu nas ruas por vários
semanas antes de um colega de trabalho lhe oferecer um quarto extra.

Assim que Darryl ganhou $ 50 extras, ele desceu para o
Stardust Casino and Resort, rapidamente transformando $ 50 em $ 500. É
foi apenas sorte de iniciante, no entanto. Darryl passou o ano seguinte e
meio trabalhando na mesma companhia telefônica, com salário vivo para
contracheque. Às vezes ele ganhava dinheiro nos cassinos, mas todos
muitas vezes ele devolvia tudo.

Era apenas uma noite normal para Darryl na Ferradura
Casino e Resort, até que percebeu que o homem sentado ao lado de
ele na mesa estava tentando aplicar a mesma contagem de cartas
técnicas que ele era. Quando o homem sentado ao lado dele se levantou
para sair, Darryl decidiu segui-lo para fora do prédio. Ele
disse-lhe que sabia que era contador de cartas e perguntou se
poderia falar.

O nome do homem acabou sendo Art, e os dois instantaneamente
tornou-se amigo. Art tinha um bankroll de $ 2.000 e estava disposto a
deixe Darryl brincar com isso por um tempo para ver se eles poderiam fazer
mais dinheiro trabalhando juntos. Eles não estavam indo muito bem, então
Darryl decidiu procurar a ajuda de um profissional. Ele soube
que um ex-Big Player da equipe de Blackjack de Ken Uston foi
ficar perto de seu apartamento. Ele corajosamente bateu neste
porta do homem, explicou quem ele era e quais eram seus problemas. O
cara, Ron Karr, gentilmente o convidou para entrar e compartilhou alguns
dicas valiosas para contar cartas com ele.

Algumas semanas depois, Darryl bateu na porta de Ron Karr novamente, como
ele tinha mais perguntas a lhe fazer. Desta vez, Ron ofereceu ambos
Darryl e Art um lugar em sua equipe. Eles receberiam $ 25 por
mude para contar decks e chame os grandes jogadores. Qualquer tipo de
dinheiro consistente parecia bom para eles, então eles aceitaram alegremente
a oferta. Darryl conseguiu facilmente ganhar $ 200 por semana fazendo
isso, então ele deixou seu emprego na fábrica de canetas esferográficas.

Alguém investiu $ 10.000 na equipe, mas forçou cada um
jogador para fazer apostas de $ 100. Apesar de apostar essa quantia de dinheiro
deixou Darryl nervoso, ele ficou com a equipe. Em apenas alguns
de semanas, esses $ 10.000 se transformaram em $ 60.000 e toda a equipe
estava comemorando.

Nos bastidores, Ron e alguns dos jogadores da equipe
estavam experimentando com um computador de rastreamento aleatório, eles
queria usar nos cassinos. A equipe estava pronta para se concentrar em
isso, oferecendo a cada jogador ativo uma pequena porcentagem do
ganhos futuros da equipe com base em quão bem eles pensaram que estavam
na contagem de cartas. Darryl e Art foram oferecidos apenas 0,075%,
o que foi um insulto.

Ron deu a estes dois homens uma segunda opção; eles poderiam deixar seu
equipe e junte-se à equipe de Ken Uston. É aqui que Art e
Darryl se despediu; A arte ficou com o computador
equipe de rastreamento, enquanto Darryl se aventurava na equipe de Ken Uston que
iriam ironicamente usar sua própria versão de um rastreamento aleatório
dispositivo em um futuro próximo.

Tornando-se parte da equipe de Ken Uston

Darryl teve que passar por uma série de testes antes de poder
na verdade, faça parte da equipe de Ken Uston. Um dos principais testes
ele envolveu a contagem regressiva de vários sapatos. Eles também
mostrei várias mãos para ele através de um projetor de slides para ver se
ele poderia identificar seu número de índice correto. Darryl fez
surpreendentemente bem em todos os seus exames, sendo convidado a participar do
equipe como observador.

Darryl contaria as cartas e sinalizaria em um Big Player quando
a contagem foi boa. O Big Player sinalizaria a Darryl o que
sua mão estava, e Darryl sinalizaria de volta com o que melhor
mover para fazer seria. Desde o início, pediram para ele ligar
Grandes jogadores dos quais os cassinos já suspeitavam; isso
não demorou muito para que Darryl começasse a sentir o calor também, ficando
barrado nos casinos quase semanalmente.

Às vezes ele era levado para a sala dos fundos dos casinos, mas era apenas
já ameaçou nunca mais voltar. Alguns de seus outros colegas
foram espancados nesses bastidores, então ele realmente considerou
ele mesmo um dos sortudos. Apesar das barreiras, Darryl
continuou a jogar pela equipe, tornando-se conhecido como tal
dos contadores de cartas mais rápidos que já tiveram. Ele poderia
conte consistentemente um único baralho em menos de dez segundos, que é
quase duas vezes mais rápido do que qualquer outra pessoa.

A única desvantagem de trabalhar na equipe de Ken Uston, é que ele
muitas vezes deixa seu ego tirar o melhor dele. Darryl fez uma pausa em
jogando por alguns meses, porque ele estava cansado do caminho
Ken estava tratando dele e dos outros membros da equipe. Ken
ligou para ele depois de um tempo, dizendo que ele deveria se juntar a ele
em Atlantic City, já que os cassinos não tinham nenhuma regra de restrição.
Darryl não resistiu. A equipa teve uma banca de quase
$ 25.000, que aumentaram constantemente enquanto Darryl liderava a equipe em um 15
seqüência de vitórias consecutivas.

A equipe eventualmente começou a usar um novo rastreamento aleatório
sistema chamado “Thor” para ganhar uma vantagem ainda maior sobre o
cassinos. Com os pés, eles tinham que inserir o valor exato de
os cartões que receberam. Thor então responderia por meio de
vibrações para dizer aos jogadores o que fazer a seguir. Darryl
expressou sua opinião sobre Thor em uma entrevista com Richard W.
Munchkin,

“Gostaria de me lembrar de algumas das peças bizarras
Thor gostaria que você fizesse, porque Thor não tinha nenhum
critério. Se você sentiu que poderia ganhar meio por cento ao acertar
um 18 difícil, diria para você acertar. ”

A equipe teve seus maiores ganhos e maiores perdas enquanto
usando Thor. Darryl uma vez ganhou mais de $ 150.000 no Cambridge Hotel
e Casino of Atlantic City graças a esse pequeno dispositivo.
No entanto, ele também perdeu mais de $ 80.000 na MGM em Las Vegas, como um
resultado de ouvir os movimentos ousados ​​que Thor disse a ele para fazer.
As experiências de Darryl com Thor não se limitaram a cassinos no
Estados Unidos, já que a equipe realmente trouxe o dispositivo com eles
quando viajaram para o exterior.

Jogando Blackjack na Europa

Darryl e a equipe começaram jogando na Alemanha e
Bélgica, percebendo rapidamente que Thor não funcionaria lá porque
os embaralhamentos eram tão intensos. Eles seguiram para a Inglaterra, onde
eles esperavam que usar o Thor fosse muito mais fácil.

Um dos primeiros cassinos em que jogaram avisou outros cassinos
na área à procura de um grupo de jogadores americanos
eles suspeitavam que estavam trapaceando. A equipa não sabia disso
aviso, então eles continuaram a jogar normalmente, usando Thor para obter
à frente. Quando Darryl foi sacar no Cassino de Annabelle, o
a recepção alegou que não tinha dinheiro suficiente para
resgatá-lo e, em vez disso, teria que preencher um cheque que
poderia ser sacado na manhã seguinte.

Darryl presumiu que deveria haver outra razão pela qual ele não foi
capaz de sacar naquela noite, e ele certamente estava certo. Antes
eles podiam fazer as malas, toda a equipe foi arrastada por
questionamento e era óbvio que o cassino sabia que eles estavam funcionando
para algo.

Seus carros, seus quartos de hotel e suas pastas eram
completamente pesquisado, mas o pessoal do casino tinha de alguma forma
conseguiu ignorar a pesquisa dos jogadores reais, a maioria dos quais
tinha dispositivos de Thor amarrados em seus tornozelos. O casino tinha encontrado
esses dispositivos, eles teriam evidências suficientes para travar
Darryl e seus amigos há anos. Mesmo que a equipe fosse
eventualmente pagou suas dívidas, estava claro que eles seriam
indesejável para nunca mais voltar.

Levando disfarces para um nível totalmente novo

Usar disfarces tornou-se inevitável para Darryl, como alguém
parecia reconhecê-lo em quase todos os lugares que ia. Depois que ele veio
de volta da Europa, ele fez algumas mudanças drásticas para alterar a forma
ele olhou. Ele morreu e enrolou o cabelo, ele começou a usar
folheados em seus dentes, e ele até teve uma toupeira removida. Em
além disso, ele perdeu uma quantidade significativa de peso.

Em alguns cassinos ele colocava seu cavanhaque falso, enquanto em
outros ele usaria um terno de três peças para trocar seu
aparência. Uma vez, ele até colocou um toner escuro na pele para
fazê-lo parecer mulato. Ele faria qualquer coisa que fosse necessária
para tirar os cassinos de suas costas. Porém, eventualmente, Darryl
cansou de ter que esconder sua verdadeira identidade.

Uma nova fase na vida

Em 1986, Darryl estava pronto para seguir em frente com seu blackjack
tocando estilo de vida, então ele arrumou sua guitarra e se juntou ao
Grande Marcha pela Paz de Los Angeles a Nova York. Eles marcharam e
jogado em todo o país, e foram quase oito meses
até que eles terminassem. Ele participou de uma marcha semelhante a
ano seguinte, de Leningrado a Moscou. Artistas famosos
incluindo James Taylor e Santana se juntaram em seus esforços neste
tempo.

Quase uma década após sua primeira marcha, Darryl dedicou seu
vida inteira para ser um músico folk em tempo integral. Ele viajou para
vários países ao redor do mundo, atuando em centenas de
concertos todos os anos. Ele lançou vários CDs e teve um constante
crescente base de fãs. De 2005 a 2012, Darryl tirou sete anos
romper com a profissão, passando a maior parte do tempo
relaxando nas Montanhas Rochosas.

Todos pensaram que ele tinha acabado de tocar música para sempre até que
lançado, “Next Time Around,” em 2012. Essa música, na verdade
alcançou a posição # 1 no Roots Music Report Folk Chart for National
Rádio, que é uma conquista impressionante. Embora a música seja
sua verdadeira paixão, Darryl ainda visitará os cassinos de Las
Vegas de vez em quando, relembrando aquele capítulo de seu
life.